Skip to main content

10 Razões para Descriminalizar o Trabalho Sexual

O trabalho sexual é criminalizado não só por meio da proibição da venda de serviços eróticos, mas também por meio de leis que proíbem a procura por sexo pago, viver dos ganhos obtidos pelo trabalho sexual, manter estabelecimentos comerciais (como bordéis), ou a compra de serviços sexuais. Ao reduzir a liberdade de pessoas que fazem trabalho sexual de negociarem o uso de preservativo com clientes, organizarem-se coletivamente para exigir tratamento justo e defender publicamente seus direitos, já está demonstrado que a criminalização e o policiamento ostensivo aumentam a vulnerabilidade de profissionais do sexo à violência, extorsão e riscos à saúde.

Este documento apresenta 10 razões pelas quais descriminalizar o trabalho sexual é a melhor política para promover a saúde e os direitos humanos de profissionais do sexo, suas famílias e comunidades. Descriminalizar anda de mãos dadas com o reconhecimento do trabalho sexual como trabalho e a proteção dos direitos de profissionais do sexo, que devem ter sua saúde preservada no local de trabalho e ter acesso a medidas de segurança. Em lugares onde o trabalho sexual é descriminalizado, trabalhadoras e trabalhadores do sexo vivem com menos estigma, exclusão social ou medo da violência.

Download

Read more

Subscribe to updates about Open Society’s work around the world

By entering your email address and clicking “Submit,” you agree to receive updates from the Open Society Foundations about our work. To learn more about how we use and protect your personal data, please view our privacy policy.